(#2) Um objecto, um 'eu'...

Posted by por: catnog | Posted in | Posted on 10/26/2009 04:49:00 da manhã

Muitos atribuem aos egípcios a arte de fabricar sapatos, porém, existem evidências que a história do sapato começa a partir de 10 mil a.C., ou seja, no final do Paleolítico, pois as pinturas desta época, fazem-lhe referência (França e Espanha).
A padronização da numeração é de origem inglesa, e data de 1642 quando Thomas Pendleton forneceu 4000 pares de sapatos e 600 pares de botas ao exército, e quem uniformizou as medidas foi o rei Eduardo I. 

Em meados do século XIX começaram a surgir as máquinas para auxiliar na confecção dos mesmos, e só aí, o calçado passou a ser acessível, e não algo só ao alcance da burguesia. No ultimo quarto do séc. XX, acontecem transformações nesta industria, nomeadamente a substituição do couro pela borracha e pelos materiais sintéticos.


Desde o Paleolítico que a humanidade procurou formas de proteger os pés, mas, nos últimos anos, o calçado transcendeu essa finalidade e serve actualmente como adorno e acessório da moda, especialmente os de salto. Para esta rúbrica, escolhi um sapato bastante peculiar, e o 'eu' em causa, a Dina, é alguém com um vício particular neste objecto...
Apesar da minha escolha se afastar daqueles habituais de que é possuidora, achei que a ponte era interessante!
E sabem o que é que acontece quando um arquitecto decide desenhar sapatos?



Pois... é um sapato sem sola!
A ideia apresentada pelo arquiteto londrino Julian Hakes surgiu porque, como pessoa observadora, reparou numa pegada na areia, e que o peso se concentrava no calcanhar e na bola do pé que sussede os dedinhos... imagine-se...
Assim, decidiu desenhar um sapato de salto que deixasse o arco do pé totalmente livre, e num desenho que pudesse representar uma verdadeira evolução no design do calçado. 
Apesar de parecer absurdo ser capaz de sustentar o corpo de uma pessoa, ele é feito em fibra de carbono, revestido a couro no exterior e borracha na parte em contacto com a pele.
O resultado é realmente inovador, um sapato construído com uma única tira enrolada ao pé, que recebeu o nome Mojito, por lembrar a forma espiral da casca de um limão.


O 'eu' escolhido para esta rubrica, vai ter direito a mais dois objectos 'bastante interessantes', seguindo a mesma linhas de objectos peculiares...
uma cadeira, e umas cruzetas...


Eis a cadeira sempre em pose...

A criação é do studio de design Vladimir Tsesler&Voichenko, e apesar de achar que não é muito confortável, achei um amor de cadeira...


Por último, as cruzetas insufláveis...


Acho ideal para quem anda sempre de um lado para outro, e com a roupa 'toda' a trás... 
É algo que só se vende na Suécia, e existe estampado e liso, porém, é de salientar que o estampado não é lá muito feliz...
Contudo, é indicado para pessoas com folego e para quem quer poupar espaço na mala...

Comments (1)

  1. Eu acho que s dina ia ficar "trés" fashion com um parzinho destes nos pézinhos...ahahaha!

Enviar um comentário